Mitos da certificação na ISO 27001


Mário Sérgio Ribeiro (*) Um movimento importante ocorreu nos últimos dois anos acerca da procura e da conquista da certificação de empresas nacionais na ISO 27001, a norma de segurança da informação. Os motivos para tanto talvez pouco importem – Read more

O Porquê de se ter um Gerenciamento de Crise.


Mário Sérgio Ribeiro (*) ________________________________________________________________________________________ Em tempos bicudos, especialmente como esse em que vivemos, considero de extrema importância que qualquer empresa, seja ela pública ou privada, ter um Gerenciamento de Crise implementado.   Infelizmente, uma Crise não anuncia quando vai ocorrer, Read more

Desafios de 2022.


(*) Mário Sérgio Ribeiro Não sou o tipo de profissional que gosta de ficar fazendo previsões no campo que atuo, ainda mais nos tempos atuais, onde a quantidade de variáveis é imensa e haja modelos e cenários para acertar alguma Read more

Risco nos currículos escolares – 27fev2012

enigma.consultoria Sem categoria Leave a comment   ,

 De uns tempos para cá tenho cada vez mais a convicção da necessidade de inclusão de uma disciplina de Risco nos currículos escolares. Você pode achar que nós brasileiros temos noção do que é risco e do que não é, quem não sabe disso? Pode até ter noção, o que eu tenho lá minhas dúvidas, mas a quantidade de fatos onde se nota um risco assumido absolutamente desnecessário é impressionante. Vamos a alguns.

Comecemos pelo financeiro. Gasta mais do que recebe, ou, imagina que em 72 meses nada vai acontecer que faça com que ele deixe de pagar a prestação do carro. Gasta um monte no final do ano, mesmo sabendo que existe uma lista enorme de contas obrigatórias no início do ano. Não acredita no Impacto negativo de um evento, que lhe traga o risco, nesses casos, de um impacto financeiro que lhe traga inúmeros problemas.

Outro. Vejam a quantidade de acidentes com motos, carros e agora na moda do verão, jet ski. Quem é o agente de ameaça, o ser humano, que deveria ser ele, o próprio mitigador do risco, ou até o que evita o risco. Se seu não tiver agente de ameaça, não tenho ameaça, consequentemente não há como explorar vulnerabilidades (conceitos básicos do risco). O menino (?!) em Bertioga bateu o pé e fez com que o caseiro liberasse o jet ski, ambos, sem nenhuma noção do elevado risco que aquela aventura poderia levar. Ontem, o pai em uma manobra brusca com um Jet Ski, traz como consequência a morte do filho que bateu a cabeça no pilar de uma ponte. Os motoboys em São Paulo, na ânsia da rapidez pelo dinheiro, assumem inconsequentemente risco de morte, isso, risco de morte! Não há pior risco do que esse.

Poderia ficar aqui citando uma centena de fatos, situações que me remetem ao início desse blog: precisamos ensinar as noções básicas de Risco. Tenho quase que absoluta certeza se isso fosse feito há muito tempo atrás, muitas mazelas poderiam ser evitadas. E o que eu falo vale para todos, sem exceção. Ou você pensa o contrário?

Um abraço e até a próxima!